Olá, eu sou o Zé Carlos e enquanto estou acordado existe uma aplicação que ficam 99% do tempo aberta: o OneNote…vou explicar isso mais abaixo.

Eu me formei em 2003 na área de “TI”, que significa “Tecnologia da Informação”, nessa época essa era uma área exclusiva para Nerds ou Hakers e eu me identifico um pouco com elas, mas fiz esse post com um objetivo de desconstruir o termo “TI” para você e assim criar um entendimento comum e mais próximo do real significado desse termo em nossas vidas. Topa?

Então vamos lá, observando mais profundamente percebemos nesse termo que a “Informação” é a dona da “Tecnologia”, veja: “Tecnologia DA Informação”, captou?

Cito isso porque acho muito curioso como atualmente esse papel está invertido, olhe a sua volta, o que aparece primeiro é a tecnologia e só depois vemos a informação que tem dentro dela. Vou explicar com um exemplo básico:

Os “Apple Maníacos” fazem fila para comprar algo que sequer sabem para que servirá, mas eles querem, eles almejam, eles desejam ficar na Vanguarda da Tecnologia… e não há nada de errado com isso.

Em 1998, época que comecei a trabalhar de verdade, com carteira assinada, sentia uma imensa necessidade de encontrar uma maneira para organizar a quantidade crescente de informações que eu ia acumulando, pois trabalhando com TI eu passava por vários desafios que me obrigavam a documenta-los em algum lugar de fácil acesso, sempre à mão caso eu precisasse compartilhar ou utilizar em outra ocasião. Então, fiz uma pasta no computador com vários arquivos:

  • Senhas de Sistemas e Sites
  • Dicas de Configuração de Programas do Computador
  • Nome de Músicas que eu gosto
  • Nome de Livros que eu já li e que me indicaram
  • Piadas engraçadas (e outras nem tanto)
  • Cantadas e dicas de Sedução (acreditem, estudei sobre isso)
  • e por ai vai…

Sim, minha pasta era super legal e o conteúdo muuuuito variado! E o mais interessante dessa pasta, é que ela só continha TEXTO, nada mais que texto e mais texto… Existia uma outra pasta, oculta, com fotos e vídeos de conteúdo “adulto” que ficavam escondida, mas não vem ao caso 🙂

Aí comecei a ter problemas quando precisava de uma dessas informações e meu computador não estava por perto. Comecei a andar com um bloquinho de anotações e tinha de replicar quando chegava em casa no meu computador Desktop e transportar via disquete para a empresa, o que não era muito prático…perdi muitas anotações preciosas.

Aí comecei a ter problemas com a segurança disso, pois se meu computador desse algum problema, e deu, todas aquelas informações iam para o espaço, então tinha uma rotina de backups periódica, o que era bem chato de se fazer.

Depois tive uma agenda eletrônica, depois veio o PalmTop, depois o ZipDrive, depois veio o Notebook e só muito depois veio o SmartPhone… Resumi um pouco essa parte, pois os problemas sempre transitavam entre disponibilidade e segurança.

Só em 2009 (mais de 10 anos depois) eu encontrei uma solução que fiquei realmente “confortável”, ela se chamava SkyDrive (OneDrive de hoje) e lá eu tinha uma tranquilidade de colocar minhas coisas e acessa-las de qualquer lugar. Eu já havia testado outras, como FTP, Disco Virtual do Terra e outras que já nem lembro mais…passou.

Hoje o Onedrive, iCloud, DropBox, GoogleDrive, já estão consolidadas e a única coisa que diferencia uma da outra acredito que é o preço, que geralmente são Freemium, ou seja, Grátis até um determinado tamanho de armazenamento e Premium (pago) para maiores armazenamentos.

Mas existia uma questão que ainda me incomodava, era que as informações de mais de 10 anos acumuladas já não estavam mais se sustentando no meu método organizacional: Pastas/Arquivos. Existia alguma coisa e eu não sabia o que, mas estava me incomodando.

Em 2010 eu conheci um tal Evernote, dei pouca atenção para ele, pois tinha um aspecto muito complexo, parecia que eu estava operando um banco de dados cheio de linhas e textos pulando na minha frente. Desisti de entende-lo.

Já em 2011, participando do evento TechEd da Microsoft em São Paulo, assisti a uma apresentação do Rodrigo Pinto, diretor comercial da Microsoft, que me mostrou como ele utilizava o OneNote para organizar a vida dele e em menos de 20min de apresentação eu fiquei pasmo! Ele tinha cadernos virtuais para cada área da vida, do trabalho, dos projetos e os cadernos tinham separação (sessões) tipo fichário e entre as sessões haviam folhas que podiam ser movidas para outra sessão ou outro caderno, facilmente… Uma coisa de outro planeta! Foram os 20min mais “produtivos” da minha vida até então, sou muito grato pelo Rodrigo ter compartilhado a tela dele, a vida dele, mostrando a estrutura que ele usava para lhe dar com tanta informação importante.

Saí daquela apresentação de 1h com tantos insights que não cabiam em minha mente, anotei tudo no papel e depois adivinhem, coloquei no meu OneNote, uma aplicação que já estava instalada a anos no meu computador, mas eu não sabia nem com abri-la direito!

Agora, qual a diferença que eu vi entre pastas/arquivos e o OneNote?

O OneNote e o Evernote são aplicativos que tem como objetivo principal, anotar coisas.

Depois de você anotar, pode organizar em algum lugar que desejar ou não, pois logo em seguida ele passa um mecanismo de busca por tudo que está escrito e monta um índice. Aí, quando você  estiver na correria e precisar de uma informação que está lá, mas não sabe onde, basta digitar na busca do OneNote que ele fala em que Caderno/Sessão/Folha está o que você quer!

Outro recurso apaixonante é a possibilidade de fazer recortes da tela e colar lá, sem compromisso! Antigamente eu acessava algum site e se tinha alguma coisa que me interessava, eu dava um “PRINT SCREEN” e transformava isso em um arquivo JPG na organização de pasta que correspondia aquela imagem. E nunca mais achava nada! Agora, eu posso dar um título a essa folha, escrever um comentário nela, oooooou, se nessa imagem constar texto o OneNote faz um OCR (Optical Character Recognition) e você pode fazer uma nova busca que ele vai achar a imagem que você precisa…assustador!!!!

Sem contar que tudo isso que você escreve está sincronizado com a Nuvem OneDrive e pode ser acessado de qualquer dispositivo que você tiver em mãos, qualquer um que tenha internet!

Depois descobri uma série de outras peripécias que podem ser feitas, só que preciso desenhar um WorkShop para apresentar todas a você…se tem interesse me escreva ali abaixo que posso montar uma turma!

Na minha opinião, essa é a principal ferramenta do pacote Office da Microsoft!

Tempo passou e esses dias resolvi aceitar o desafio de um cliente que insistiu em utilizar o Evernote em vez do OneNote. Logo que instalei e abri, entendi tudo que ele tinha para me oferecer, além de ser muito mais bonito no aspecto visual. Acontece, que a versão FREE do Evernote é limitada na quantidade de itens que podem ser sincronizados na nuvem e para você evoluir isso, precisa pagar uma taxa de R$80 por ano. Não achei caro, mas acho que por um pouquinho mais você leva muito mais recursos levando o pacote Microsoft Office 365 completo, como Word, Excel, PowerPoint, Access, tudo original e atualizável, sem contar que pode compartilhar sua assinatura com mais 4 amigos ou familiares e cada um vai desfrutar de 1Tb de Armazenamento na nuvem OneDrive, um absurdo! Ah, não falei que você ainda tem 60min por mês de ligação skype para números fixos de mais de 140 países. Tá bom pra você?

Então não perca essa incrível oferta que a Microsoft está fazendo e garanta a sua assinatura clicando aqui nesse link. Eu recomendo e assino em baixo!


Zeca
Zeca

Um Pantaneiro no Mundo Digital

Leave a Reply

Your email address will not be published.